HORÁRIO DE ATENDIMENTO:
Seg. a Sex. das 8h às 18h

Infiltrações em tendões e bursas

Atualmente, um dos tratamentos muito utilizados na ortopedia é a infiltração. Trata-se de um procedimento comum, seguro e eficaz para tratar lesões, principalmente esportivas.

Mas afinal, o que é infiltração e quais suas aplicações?

Infiltração

Em suma, a infiltração consiste em aplicar uma injeção com medicações ao redor de um tendão, em uma bursa ou dentro do espaço articular. Existem vários tipos de infiltrações com diferentes tipos de medicações.

Recomenda-se o procedimento, sobretudo, para respostas rápidas em processos inflamatórios e minimizar dores. Além disso, utiliza-se principalmente em casos traumáticos e inflamatórios que não respondem bem a tratamentos convencionais, com medicação via oral, por exemplo.

Além de lesões decorrentes das práticas esportivas, o tratamento pode ser indicado para processos inflamatórios como as tendinites, ou em problemas persistentes na coluna, como hérnia de disco e dor lombar.

Infiltração em tendões e bursas

Tendinite

A tendinite é a inflamação ou irritação de um tendão (responsável por fixar o músculo ao osso). Eles servem para transmitir a força da contração muscular necessária para mover um osso.

Assim, dependendo do local, podem ser classificados de diferentes tipos, dos quais:

  • Tenossinovite;
  • Tendinite Ossificante;
  • Peritendinite;
  • Entesite.

A causa mais comum é o trauma local, particularmente se o indivíduo tem mau condicionamento físico, má postura, ou usa o membro afetado de forma errada.

Bursite

Trata-se da inflamação ou irritação de uma bursa. Mas afinal, o que é uma bursa? A bursa é uma pequena bolsa, que se localiza entre os ossos e outras estruturas móveis, como músculos, pele ou tendões. Em suma, ela permite e facilita um melhor deslizamento entre as estruturas.

Por fim, como ambas estruturas estão localizadas próximas às articulações, qualquer alteração ou anormalidade nesses locais será percebido, causando dor. Entre os sintomas mais comuns, temos:

  • Dor intensa, principalmente à noite;
  • Inchaço no local;
  • Rigidez, agravada por movimento.

A bursite pode surgir de trauma único, porém de forte intensidade ou de pequenos traumas repetitivos. Contudo, pode também estar associada a várias condições reumáticas, metabólicas, infecciosas e até sem causa específica.

Casos de bursites e tendinites que não apresentam melhoras com fisioterapia e medicações analgésicas podem ser tratadas com infiltrações analgésicas na bursa e/ou tendões inflamados, promovendo uma melhora na dor e na mobilidade dos locais afetados. Tais procedimentos causam mínimo ou nenhum desconforto ao paciente, que também não terá nenhuma restrição no dia do procedimento.

Tendinites e bursites são condições normalmente temporárias, mas podem se tornar crônicas!

Infiltrações em tendões e bursas

Como o procedimento é feito

Em suma, usam-se agulhas e seringas, que assim como o medicamento, serão indicadas de acordo com o tipo de lesão a ser tratada e a necessidade do paciente. E vale sempre salientar: todos equipamentos utilizados deverão ser esterilizados e usados apenas uma vez!

Assim, antes da aplicação da injeção, é feita uma assepsia do local, podendo ainda ser realizada uma anestesia para evitar dores. Os medicamentos utilizados, geralmente, são os descritos abaixo, combinados ou não:

  • Anestésicos locais;
  • Ácido hialurônico;
  • Corticosteróides.

Em relação aos anestésicos locais, são os mais utilizados. Seu objetivo principal é a promoção do alívio provisório da dor. Existem diferentes tipos de anestésicos, cada um com um tempo de efeito diferente. Alguns por minutos e outros, por dias. Dessa forma, geralmente são combinados a outras medicações nas infiltrações.

Os corticosteróides têm efeito anti-inflamatório local, aliado à baixa absorção sistêmica. Analogamente aos anestésicos, existem muitos tipos, cada um com sua característica.

Por fim, a infiltração de ácido hialurônico tem como função restabelecer a quantidade do composto perdida no líquido sinovial e restaurar sua função. Indica-se em casos de artrose leve associada a dor intensa.

Riscos do procedimento

Existem muitos estudos e pesquisas mostrando bons resultados das infiltrações em comparação a outros diversos tipos de tratamentos, como cirurgia e fisioterapia. Contudo, existem controvérsias também quanto ao seu uso. 

Como são diversos os tipos de infiltração, muitas vezes, sua aplicação é feita de forma incorreta, atrapalhando tratamentos. Além disso, muitos utilizam a técnica como uma ferramenta para permitir, por exemplo, um retorno rápido ao esporte, sem realizar um repouso e reabilitação, tão necessário para a recuperação de lesões. O que acontece, muitas vezes, é o contrário do que é pensado: a infiltração acaba mascarando os sintomas do problema, que acaba piorando a lesão.

Dessa forma, os principais riscos associados ao uso da prática incluem:

  • Infecções;
  • Aumento provisório de glicemia;
  • Fragilidade do tendão e cartilagem;
  • Alterações da pele no local da aplicação;
  • Dor transitória após o procedimento.

Em conclusão, todos os riscos dependem do tipo de infiltração realizada. Dessa forma, a comunicação entre médico e paciente deve ser clara. É interessante, que todo o processo de infiltração seja feito por médicos que tenham conhecimento das diferentes técnicas, com ambiente adequado e com medicações e equipamentos apropriados.

INFORMAÇÕES DO AUTOR:

Dr. Daniel Daniachi Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do quadril

Formado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), possui residência médica em Ortopedia e Traumatologia pela mesma instituição de ensino e subespecialização em Cirurgia do Quadril.
Registro CRM-SP nº 117036.

Cuide do seu quadril

Agende uma consulta com um especialista!

AGENDE SUA CONSULTA

Blog e Artigos

artroplastia do quadril

No decorrer da vida é muito comum que algumas das articulações do nosso corpo fiquem bastante desgastadas.  Por isso, com o passar dos...

Basicamente, os ossos formam a estrutura que dá suporte aos tecidos moles do corpo e protegem os órgãos vitais, como o coração e cérebro. E o...

Pubalgia tem cura?

Antes de tudo, é importante saber que o púbis é o osso localizado na região inferior da pelve, fazendo parte do anel pélvico, que, por sua vez,...