HORÁRIO DE ATENDIMENTO:
Seg. a Sex. das 8h às 18h

Lesão Labral ou Lesão de Labrum

O labrum acetabular é uma estrutura fibrocartilaginosa fixada na margem do acetábulo e que possui função de estabilizar o quadril. Normalmente, uma lesão nessa região causa dor incapacitante, devido a microtraumas associados a anormalidades da estrutura do quadril.

A lesão labral está relacionada a traumas na articulação do quadril, degeneração, displasia acetabular e deformidades ósseas.

A prática esportiva com muitas repetições aumentam a possibilidade de uma lesão labral e os esportes mais relacionados são aqueles que envolvem movimentos de rotação do quadril ou que necessitam de mudanças bruscas de direção, como artes marciais, hockey no gelo, futebol, rugby, golfe, tennis, esgrima, dança e ballet.

Os sintomas relatados por aqueles que apresentam uma lesão labral são variados e podem começar durante a atividade física ou não. A dor é o principal sinal, normalmente na parte anterior do quadril ou na região inguinal, e aparece de forma progressiva. 

O diagnóstico é feito a partir de uma avaliação clínica, com exame físico detalhado com algumas manobras específicas que podem alertar para a patologia. Contudo, um exame de imagem (Artro Ressonância Magnética) é fundamental para se estudar o tipo de lesão e programar o tratamento.

Uma vez diagnosticada uma lesão labral do quadril deve ser iniciado o tratamento, que no início consiste em um programa de analgesia e fisioterapia visando o fortalecimento da musculatura e uma melhora da propriocepção. 

Quando o tratamento conservador não é capaz de amenizar os sintomas, o especialista pode indicar um procedimento cirúrgico chamado artroscopia, que é uma técnica minimamente invasiva que para retirar a parte lesada do lábio acetabular ou repará-lo através de uma sutura ou reinserção dependendo do tipo de lesão apresentada. 

É importante ressaltar que o diagnóstico precoce é a melhor forma de se proteger de um problema maior no quadril.

O que causa a Lesão de Labrum

A lesão de labrum é causada por algum impacto que comprime as regiões em torno desse anel, no caso, o fêmur e o acetábulo, em determinados movimentos que promovem o atrito.

Esportes de contato ou que exigem rotação do corpo intensa, como artes marciais, ballet e golfe também estão relacionados com a lesão de labrum, prejudicando o desempenho de atletas em longo prazo.

Além disso, a lesão de labrum, também pode ser causada pelos tipos de impacto femoroacetabular CAME e PINCER, que por possuir terminações nervosas que se conectam ao cérebro, é possível que o paciente sinta dor durante os movimentos que estimulem a região lesionada.

Principais sintomas da Lesão de Labrum

Diversos são os sintomas relatados por pacientes que sofreram lesão labral. As principais queixas são de:

  • Dores durante atividades esportivas ou ao praticar esportes;
  • Dor ao sentar, na região da virilha;
  • Estalos, travamento, repuxo na articulação do quadril
  • Amplitude dos movimentos da articulação do quadril ficam limitados.

Tratamento para lesão labral ou lesão de labrum

Como falamos brevemente acima, o tratamento pode ser conservador ou cirúrgico. Ele visa a resolução da dor e o retorno às atividades esportivas. 

É importante avaliar se há alterações da estrutura óssea que também precisam ser tratadas antes de tratar a lesão labral em si. Impacto entre fêmur e acetábulo ou instabilidade precisam ser identificados e tratados. Nestes casos, tratar somente a lesão labral sem considerar as alterações estruturais provavelmente não trará bons resultados a médio e longo prazo.               

Inicialmente, o ortopedista especialista em quadril pode indicar o tratamento conservador, ou seja, sem cirurgia. Este deve ser baseado na identificação das alterações estruturais, de forma que se evite certas posições que irritem o labrum através do impacto entre fêmur e acetábulo ou pelo deslocamento da cabeça femoral. 

Além disso, o profissional pode sugerir medicações para dor e anti-inflamatórias, fisioterapia e readequação das atividades. Terapias com células tronco e PRP são promissoras, porém ainda não têm indicações definidas e comprovação de sucesso em estudos de qualidade.

Contudo, os pacientes com sintomas não resolvidos pelo tratamento conservador são candidatos ao tratamento cirúrgico. Na hora de escolher o melhor tipo de cirurgia, é preciso levar em conta a idade, situação da cartilagem articular e as atividades do paciente.

De modo geral, a cirurgia pode ser realizada por via aberta (cirurgia tradicional) ou por via artroscópica. A maioria das lesões labrais e alterações estruturais podem ser tratadas através de artroscopia.

INFORMAÇÕES DO AUTOR:

Dr. Daniel Daniachi Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do quadril

Formado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), possui residência médica em Ortopedia e Traumatologia pela mesma instituição de ensino e subespecialização em Cirurgia do Quadril.
Registro CRM-SP nº 117036.

Cuide do seu quadril

Agende uma consulta com um especialista!

AGENDE SUA CONSULTA

Blog e Artigos

artroplastia do quadril

No decorrer da vida é muito comum que algumas das articulações do nosso corpo fiquem bastante desgastadas.  Por isso, com o passar dos...

Basicamente, os ossos formam a estrutura que dá suporte aos tecidos moles do corpo e protegem os órgãos vitais, como o coração e cérebro. E o...

Pubalgia tem cura?

Antes de tudo, é importante saber que o púbis é o osso localizado na região inferior da pelve, fazendo parte do anel pélvico, que, por sua vez,...