HORÁRIO DE ATENDIMENTO:
Seg. a Sex. das 8h às 18h

Ortopedista especialista em fratura do acetábulo

Dr. Daniel Daniachi Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do quadril

Você sabe o que são fraturas do acetábulo e como um ortopedista especialista pode atuar nestes casos?

Este tipo de fratura é mais comum em jovens, mas também pode afetar idosos. 

Quer saber mais sobre diagnóstico, tratamento e atuação de um especialista?

Continue acompanhando o texto, pois é isso que vamos tratar hoje.

Confira!

O que é a fratura do acetábulo?

Fraturas do acetábulo são aquelas que afetam a região articular do quadril, a pelve em específico, região popularmente conhecida como bacia. 

Usualmente são causadas por acidentes de alto impacto, como colisões de carro e moto ou atropelamentos, por isso é mais comum em jovens. 

No entanto, idosos com diagnóstico de osteoporose ou osteopenia também podem sofrer com esta fratura devido a quedas. 

Um médico ortopedista especialista em quadril poderá realizar o diagnóstico da fratura do acetábulo e avaliar sua gravidade. 

O diagnóstico é comumente feito por meio de radiografias com incidências especiais, também podendo ser utilizada a Tomografia Axial Computadorizada. 

Este último exame auxilia na precisão do diagnóstico e planejamento terapêutico. 

A gravidade da fratura depende de alguns fatores, como:

  • Número e tamanho dos fragmentos de fratura;
  • Quantidade que cada peça está fora do lugar;
  • Lesão nas superfícies da cartilagem;
  • Lesão nos tecidos moles circundantes. 

Quais os sintomas de uma fratura do acetábulo?

A fratura do acetábulo ocorre quando uma força externa direciona a cabeça do fêmur contra o acetábulo. 

Quando causadas por acidentes de alto impacto, o atendimento deve ser imediato, especialmente por muitas vezes acompanhar outras lesões e ferimentos no corpo. 

Já as fraturas causadas pelo enfraquecimento ósseo, os pacientes apresentam dor intensa no local.

Quando há danificação do nervo, também é possível que o paciente sinta dormência, fraqueza e sensação de formigamento na perna. 

Quais os tratamentos para fratura do acetábulo?

O tratamento para fraturas do acetábulo varia de acordo com o padrão da fratura e estado geral de saúde do paciente. 

Um ortopedista especialista poderá optar por um tratamento conservador ou intervenção cirúrgica. 

O tratamento conservador é recomendado para fraturas estáveis em que não há ossos deslocados.

Envolvem algumas intervenções, como:

  • Uso de muletas para auxiliar a caminhar;
  • Restrição da posição do quadril com o uso de um dispositivo de posicionamento de perna;
  • Medicamentos para alívio da dor e anticoagulantes. 

Já a intervenção cirúrgica é indicada para restaurar uma superfície lisa e plana do quadril.

O ortopedista especialista reconstrói a anatomia normal do quadril, alinhando os fragmentos dos ossos. 

Após a cirurgia, é indicado que a recuperação dos movimentos seja feita com acompanhamento fisioterapêutico. 

Além disso, muletas são necessárias no período de recuperação, assim como exercícios de força e resistência. 

Entre seis e doze meses, o paciente que segue todas as recomendações já está recuperado. 

Está em busca de um ortopedista especialista em fratura do acetábulo? Conheça a Clínica Daniachi!

Agora você já sabe mais sobre a fratura do acetábulo e como um ortopedista especialista pode atuar. 

Caso você esteja em busca de um especialista, nossa sugestão é a Clínica Daniachi!

Esta clínica é especializada em cirurgia do quadril, entre outras partes do corpo, além de atuar com ortopedia pediátrica e dores crônicas. 

Agende uma consulta e conheça profissionais de excelência!

Preencha o formulário e agende sua consulta

loading...

INFORMAÇÕES DO AUTOR:

Dr. Daniel Daniachi Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do quadril

Formado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), possui residência médica em Ortopedia e Traumatologia pela mesma instituição de ensino e subespecialização em Cirurgia do Quadril.
Registro CRM-SP nº 117036.