HORÁRIO DE ATENDIMENTO:
Seg. a Sex. das 8h às 18h

Artroscopia

A artroscopia do quadril é uma técnica cirúrgica realizada por um ortopedista especialista nessa área. Ela é feita por meio de pequenas incisões (cortes) na pele, visualizando seus instrumentos em uma televisão.

Ela pode ser considerada como uma cirurgia minimamente invasiva e menos agressiva, que proporciona um retorno mais rápido às atividades esportivas e da vida diária. 

De maneira geral, a artroscopia do quadril pode ser indicada em casos de: Impacto femoroacetabular (IFA); Lesão do lábio acetabular; Lesões da cartilagem; Ressaltos do quadril; Lesões do tendão do glúteo médio; Tumores benignos (como condromatose sinovial e sinovite vilonodular) e Síndrome piriforme.

Assim como acontece em qualquer procedimento cirúrgico, a artroscopia de quadril pode apresentar complicações, porém estas são raras e, normalmente, não são graves. A complicação mais comum é a parestesia (formigamento) que pode acontecer em algumas regiões, como períneo, genitais, região lateral (de fora) da coxa e dorso do pé. 

É válido ressaltar que a artroscopia do quadril é um procedimento efetivo, com altas taxas de sucesso e melhora clínica do paciente. 

Muitos pacientes costumam voltar para as suas atividades cotidianas de forma rápida e sem restrições após a artroscopia. Contudo, a recuperação dependerá do tipo de dano que estava presente no quadril, ou seja, do grau da lesão da cartilagem. 

Em alguns casos, são necessárias mudanças no estilo de vida para proteger a articulação, como trocar os exercícios de alto impacto por atividades de menor impacto. Entretanto, todas essas decisões serão tomadas em conjunto com o cirurgião, pois só ele é capaz de avaliar as necessidades de cada paciente.

Quando a artroscopia do quadril é indicada?

De modo geral, podemos dizer que a artroscopia do quadril pode ser indicada em casos de: 

  • Impacto femoroacetabular (IFA): condição que ocorre quando existe um contato anormal e desgaste entre a cabeça e o encaixe da articulação do quadril.
  • Lesão do lábio acetabular: causa mais comum de dor no quadril em adultos jovens e atletas, porém pode afetar adolescentes e pessoas com mais idade. As lesões labrais são resultado da associação entre alterações estruturais do quadril e atividades esportivas ou movimentos extremos do quadril.
  • Lesões da cartilagem: início do processo degenerativo de uma articulação. As causas mais comuns identificáveis dos danos à cartilagem são de origem mecânica.
  • Ressaltos do quadril: é caracterizada por um ressalto sonoro, como um estalido, que ocorre dentro ou ao redor do quadril. A sensação é de “algo” que se move bruscamente no quadril durante o movimento, de forma a chamar a atenção por gerar um falseio momentâneo ou um estalido sonoro.
  • Lesões do tendão do glúteo médio:  a maioria das rupturas dos tendões glúteos é crônica e provavelmente relacionada à degeneração tendínea. Alguns casos apresentam um mecanismo de trauma agudo, como em movimentos abruptos e acidentes.
  • Tumores benignos (como condromatose sinovial e sinovite vilonodular): costumam ser mais profundos do que nas extremidades, e por este motivo costumam ser diagnosticados  com tamanho maior do que em outros locais.
  • Síndrome piriforme: distúrbio em que o músculo piriforme das nádegas irrita o nervo ciático.

Como qualquer procedimento cirúrgico, a artroscopia de quadril pode apresentar complicações, porém estas são raras e em geral não são graves. A complicação mais comum é a parestesia (formigamento) que pode acontecer em algumas regiões, como períneo, genitais, região lateral (de fora) da coxa e dorso do pé. 

Sendo assim, é importante ressaltar que a artroscopia do quadril é um procedimento efetivo, com altas taxas de sucesso e melhora clínica do paciente. 

A cirurgia pode ser realizada com anestesia raquidiana e sedação ou sob anestesia geral. E para obter acesso à articulação do quadril é necessário o uso de uma mesa ortopédica de tração, criando espaço na articulação para a inserção de óticas e instrumentos. Além do material de vídeo também usamos um aparelho de radioscopia.

Após a confecção dos portais de acesso, é introduzida uma micro-câmera e pode-se utilizar uma grande variedade de pinças para correção das lesões, suturas, raspagens e micro perfurações.

Como é a recuperação da artroscopia do quadril?

A recuperação da artroscopia do quadril não costuma ser muito demorada. Algumas pessoas voltam para as suas atividades de forma rápida e sem restrições após o procedimento. 

Contudo, a recuperação total dependerá do tipo de dano que estava presente no quadril, ou seja, do grau da lesão da cartilagem. 

Em alguns casos, as mudanças de estilo de vida são necessárias para proteger a articulação, como trocar os exercícios de alto impacto por atividades de menor impacto. Porém, estas são decisões que serão tomadas em conjunto com o cirurgião ortopedista especialista em quadril, pois só ele é capaz de avaliar as necessidades de cada paciente.

Agora que você já sabe como é feita e quando é necessária a artroscopia do quadril, não deixe de agendar uma consulta com o Dr. Daniel Daniachi caso sinta dor nessa região.

INFORMAÇÕES DO AUTOR:

Dr. Daniel Daniachi Ortopedista e Traumatologista especialista em cirurgia do quadril

Formado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP), possui residência médica em Ortopedia e Traumatologia pela mesma instituição de ensino e subespecialização em Cirurgia do Quadril.
Registro CRM-SP nº 117036.

Cuide do seu quadril

Agende uma consulta com um especialista!

AGENDE SUA CONSULTA

Blog e Artigos

artroplastia do quadril

No decorrer da vida é muito comum que algumas das articulações do nosso corpo fiquem bastante desgastadas.  Por isso, com o passar dos...

Basicamente, os ossos formam a estrutura que dá suporte aos tecidos moles do corpo e protegem os órgãos vitais, como o coração e cérebro. E o...

Pubalgia tem cura?

Antes de tudo, é importante saber que o púbis é o osso localizado na região inferior da pelve, fazendo parte do anel pélvico, que, por sua vez,...